https://www.facebook.com/Canal-do-Glorioso

https://www.facebook.com/Canal-do-Glorioso-1701660276771886/?fref=nf

domingo, 25 de setembro de 2011

Eu e meu Botafogo

Hoje é domingo
E tem jogo do Botafago
Se ganhar
Tudo maravilhoso
Se perder
Dia de desgosto
Assim é o Glorioso
Passional como eu
Capaz tanto
De vitórias indescritíveis
Como derrotas impossíveis
De me fazer chorar
De alegria
E de vergonha
E é solitária
A alvinegra estrela
Como meu coração
E assim seguimos
Entre solidão, amor e paixão
Eu e meu Botafogo.

sábado, 24 de setembro de 2011

Pelada in Rio no Engenhão: Paradão na Esquina x Coelho Baiano

Coitado do gramado do Engenhão, vai sofrer hoje, uma pelada pra ninguém botar defeito: Urubu-Paradão na Esquina x Coelho-Baiano, o América é de Minas, mas o coelho que é símbolo do clube é importado da Bahia, só anda devagar, quase parando, está mais para tartaruga. Tô achando que vai dar empate. Vão ficar os dois parados, dividindo a esquina.
A diretoria do Botafogo devia preservar o gramado do Engenhão dessas imundícies que vão encher nosso palco de buracos e amanhã tem exibição do Fogão lá. Saco!

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

O Botafogo me ensinou que o amor pode ser maior que a dor

Hoje à tarde fiquei feliz, fui dar uma volta na rua e vi diversas crianças trajando a camisa do Botafogo. Orgulhosos, altivos, felizes. Fiquei feliz e ao mesmo tempo comecei a recordar que passei minha juventude cultivando uma paixão que quase só me maltratava, mudei-me para Niterói em 1968, tinha eu 12 anos e a primeira vez que entrei no Maracanã foi para ver  Botafogo ser campeão, um sonoro 4 x 0 no Vasco, sai feliz, mal sabia que o  inferno estava me esperando na esquina, a mim e aos milhões de jovens que se tornaram Botafogo no fim dos anos cinquenta e por toda à década de sessenta do século passado. Saímos do céu para o inferno, sem passar pelo purgatório.
Perdemos tudo, time, sede, estádio...futuro...foi duro...muito duro!...mas seguimos em frente, havia restado um passado grandioso e uma camisa com uma linda estrela encravada por sobre o coração.  Aquilo sim era um bando de loucos: apaixonados, desesperados, humilhados... mas "seguindo a voz que vem do coração", a voz da paixão, de olhar para o gramado e ver a mágica camisa 7, envergada por Garrincha, Jairzinho, Rogério e Zequinha, sendo envergada ( no sentido literal do termo) por Cremílson, ao seu lado, Tuca, Puruca e outras sumidades que nos faziam ter vontade de sumir de tristeza e vergonha!
Mas não estávamos lá por eles, era aquela camisa, aquela estrela, aquela história que nos movia.
Hoje eu vi o orgulho de vestir aquela camisa de volta. O grande e glorioso Botafogo em seu devido lugar, impondo respeito e temor aos seus adversários.
Hoje eu vi crianças orgulhosas vestindo aquela camisa gloriosa e me emocionei. Sozinho.
Albert Camus, grande escritor e filósofo existencialista francês, disse certa vez que "tudo de mais relevante que havia aprendido sobre a humanidade havia sido jogando futebol."
E eu, senhores , aprendi com o Botafogo, que o  amor pode ser maior que a dor.
Que estas crianças que vi hoje envergando nossa gloriosa camisa jamais tenham que passar o que eu e minha geração passamos para cultivar nossa paixão.
Mas vencemos...hoje eu vi!

Domingo é dia do Fogão mandar o São Paulo para os quintos do inferno

Engenhão lotado no domingo para ver o Fogão mandar os bâmbis do São Paulo para os quintos do inferno e assumirmos de vez à liderança do Brasileirão, que por direito é nossa.
Jilozinho me informou que a torcida do Botafogo em São José do Calçado( ES ), a Fogo de Fogo, está preparando uma caravana etílico-alvinegra rumo ao Engenhão para apoiar o Glorioso rumo ao título.
Vai ser mais uma grande festa da Gloriosa paixão alvinegra.
Eu, Sir Zatonio Lahud, Barão de General Severiano, estarei lá com minhas baronetes para apoiar o Fogão!

Carlito Rocha: Paixão infinita pelo Botafogo

Carlito Rocha e Biriba, o mais famoso dos mascotes
Carlito Rocha( 1894-1981 ), talvez tenha sido o maior de todos os botafoguenses, um homem que dedicou sua vida e sua fortuna ao Botafogo, e o grande responsável pelas famosas superstições alvinegras, duas rapidinhas do grande Carlito:
Em uma partida do Botafogo um atacante do time adversário solta um balaço que passa raspando no gol do Botafogo, alguém ao seu lado diz:
- Essa nem Jesus Cristo pegava!
Carlito responde:
- Não diga besteira...Jesus pega todas!
Devoto de Nossa Senhora da Conceição- na sede do Botafogo tem uma capelinha dedica a ela-, construída por Carlito, roga a ela quando vê  o juiz que iria apitar um jogo do Botafogo:
- Minha Nossa Senhora, fazei com que esse ladrão roube para nós hoje!

Quem quiser saber um pouco mais sobre Carlito vá em Que Fim Levou?

Vitória do Botafogo faz Totó querer matar Jilozinho

Fui dormir tarde, adrenalina lá em cima após  a vitória do Botafogo sobre  Grêmio ontem à noite. Só consegui pegar no sono por volta das quatro da manhã. Às cinco e pouco toca o telefone, era Totó, meu amigo flamenguista de São José do Calçado, minha querida terra natal. Revoltado com Jilozinho, botafoguense desabrido e pinguço das mais nobres castas calçadenses. Mas vamos ao telefonema do Totó:
- Toinha!...seu filho dum'égua eu vou matar o Jilozinho e a culpa é sua que fica protegendo aquele desavergonhado, está aqui na porta de casa bêbado com aquele cachorro pinguço ( Foguinho,  cachorro bebum e tarado do Jilozinho ) já tem mais de duas horas,  a caixa de som do Menininho ( fusquinha 1961, azul-calcinha ) ligada na maior altura tocando a nojeira do Hino desse time nojento que vocês torcem, quando para começa a tocar o funk Parado na Esquina, depois aquele musiquinha enjoada da torcida da cachorrada, E Ninguém Cala...eu vou é calar a boca dele com um tiro no meio das fuças, a Menga ( galinha de estimação do Totó) está aqui desesperada para ir atrás do Foguinho, o disgramento "aviciou" à pobrezinha que não pode ver o vira-lata que vai logo levantando o rabinho. Eu tô avisando: vou matar o Jilozinho!
- Mas Aristides, eu estou em Niterói, na minha casa, são cinco da manhã e você me liga a cobrar para me dar esporro por causa do Jilozinho, o que eu tenho com isso? Chama à polícia!
- Cala a boca! Eu ligo a hora que quiser, o telefone é meu e você não me interrompa quando eu estiver falando, a culpa é sua que vive acobertando às safadezas dele comigo e você é tão safado e nojento quanto ele com essa nojeira de Botafogo e tem mais: não acredito que você não bebe há 17 anos e parou de andar com aquela piranhada que você andava. Quem puxa aos seus não regenera ( acho que ele quis dizer degenera, mas acertou, de qualquer forma ), além do mais o viado do delegado daqui também é botafoguense doente e companheiro de esbórnia do Jilozinho, se bobear tá lá fora bêbado com ele. Eu vou lá jogar água fervendo nele e no Foguinho e acabar com o furdunço aqui na porta de casa. Safado!
E desligou o telefone, na minha cara. Como sempre.

Totó, Sir Zatonio Lahud e Jilozinho
                                                                            

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Botafogo:Vitória de campeão! Estou exausto!

Anotem aí: o Botafogo vai ser o campeão brasileiro de de 2011!
Vencemos o adversário mais difícil de ser batido em seus domínios.
Um jogo de tirar o fôlego no segundo-tempo, mas vencemos jogando com inteligência e raça, um golaço do nosso Loco Abreu, em magistral jogada de Maicosuel.
Agora é partir para cima dos bâmbis domingo no Engenhão lotado.
Me desculpem mas estou com os neurônios todos mais destrambelhados que o normal. Foi muito sofrimento.

FOOOOOOOOOOOOOOOOOOGO!!!

Botafogo: Oração para Caio Júnior não fazer lambança

Pai nosso
Que estais
No céu
Não permita
Que o Caio Júnior
Desmonte o time
No segundo-tempo
Se ele o fizer
Senhor!
Por favor
Dá uma porrada nele
Por nós
Sem dó
Senhor!
Ele fez por merecer
Assim vai aprender
E nos fará parar de sofrer
Amém!

Está impossível andar a pé nas ruas do Rio e Niterói

Tá dificílimo andar a pé nas ruas do Rio e de Niterói, todas às esquinas abarrotadas de torcedores do Flamengo, uns chorando, outros assaltando os transeuntes, outros espalhando lixo nas calçadas, uma zona, é preciso que nossas autoridades tomem uma providência urgente, quando nada arrumando uma grana para o Flamengo comprar um juiz e voltar a vencer. Desde que ficaram sem dinheiro para pagar às arbitragens, não vencem nem  Galo-Cego, tem mais um detalhe: como a próxima Copa do Mundo vai ser no Brasil, a FIFA exigiu maior rigor da CBF, não quer ver sua imagem, já bem desgastada, envolvida na tradicional roubalheira dos juízes para o Flamengo.
O resultado aí está, sem a famosa Raça Rubro-Negra dos árbitros eles são o que estamos vendo: um timeco!
E o Botafogo- ah, Caio Júnior!- conseguiu a façanha de empatar duas vezes com eles. Saco!

Urubu-peidão não vence nem Galo cego...Ha! Ha! Ha! Ha! Ha!

A nação está em festa, o Mengão completou 10 jogos invicto, recorde absoluto no Brasileirão de 2011, uma grande festa está sendo preparada pelos urubus para recepcionar o valoroso esquadrão que conseguiu empatar por 1 x 1 com o Atlético Mineiro, o popular Galo Cego, que não vence faz quase tanto tempo quanto os catartídeos.
Vários camburões da PM já foram requisitados pela diretoria do Flamengo para  transportar seus valorosos atletas no grandioso desfile. A torcida já está concentrada no aeroporto Santos Dumont munida de morteiros, escopetas, bazucas, AR-15, facas, navalhas, tacos de beisebol e diversos outros apetrechos, esperando ansiosamente o retorno de seus ídolos para comemorarem  a longa invencibilidade do tradicional e pacífico clube da Gávea ( pobre Gávea, um bairro tão bonito! ).

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Botafogo: se cantamos, vibramos, choramos, é por ti

O Botafogo está em crise, e daí? Somos assim... passionais, chorões, reclamões, irônicos, debochados, depressivos, mas acima de tudo somos Botafogo, a nosso favor só temos nós mesmos, e vamos seguindo nossa gloriosa sina de sofrimento, paixão e glória. Não temos a mídia do nosso lado, não temos as arbitragens, não somos o time do povo, mas clube algum deu tantas alegrias ao povo brasileiro quanto o Botafogo. Mané Garrincha, a alegria do povo era nosso; João Saldanha, o "comentarista que o Brasil consagrou" era nosso; Didi, Gérson, Jairzinho, Zagalo, Amarildo, Paulo César Caju, Roberto Miranda e nosso santo, Nilton Santos, além do Garrincha, foram campeões do mundo pelo Brasil. Ninguém tem tantos, e temos uma estrela que brilha mesmo na dor mais profunda de uma derrota humilhante, derramamos nossas lágrimas e seguimos adiante, pois nossas glórias conquistamo-las sozinhos e são sagradas, como tu...bota dor...bota sofrimento...bota angústia...mas acima de tudo bota paixão em nossos corações...Botafogo!
Tu és o nosso Glorioso e se cantamos, vibramos, choramos, é por ti...Fogo!

Obs: Crônica que fiz em 24/03/2011

Pesquisa diz que torcedores do Flamengo têm o maior QI

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Harvard entre torcedores de todos os grandes clubes do Brasil comprovou o que todos já sabíamos: os torcedores do Flamengo são os possuidores dos QIs mais elevados no quesito ignorância: Que Ignorância! Queriam o quê? Que fossem os mais inteligentes?!
Que ignorância! Me poupem!
Sem rir, por favor, que o assunto é sério. Ai...ai...QI de urubu: Que ignorância!

terça-feira, 20 de setembro de 2011

O Barão de Gen. Severiano encontrou o jeito do Botafogo ser campeão

Amigos alvinegros, depois de matutar por dois dias este Barão que vos escreve encontrou a fórmula para sermos os campeões brasileiros de 2011:
O Caio Júnior vai continuar como técnico, mas só até o primeiro-tempo se encerrar, no intervalo vou formar um grupo guerrilheiro para sequestrá-lo, depois do jogo terminado o soltamos e ele volta à dirigir a equipe. O homem é um excelente treinador de primeira-etapa, mas depois endoida o cabeçote e nos deixa mais doidos que nós, os botafogo, já somos.
O grupo vai se chamar Salvadores do Fogão e estão convocados os seguintes companheiros e companheiras:  Alexandre Brega, Luiz Renato Siqueira, Ioni Brandão, Francisco Gonçalves, Carlos Alberto Barroso, Carlos Alberto Gasparete, Tuba Botafoguense ( vai entubar o homem...kkkkk...), Tom Santana, Samis Muriel, Paulo Victor Reis, Teka Felisberto, Márcia Genescá, Saulo Milleri Anísio Pinheiro, Renata Brandão de Carvalho, Mario Filho, Roberto Ferreira Paiva, Lucienne Milleto, Renata Fernandes e outros mais que esqueci de mencionar aqui. Ah, e nosso guerrilheiro mirim e folgado: Matheus BFR.
Os sequestros terão início no jogo com o Grêmio e nossa equipe secreta já seguiu para Porto Alegre.

FOOOOOOOOOOOOOGO!!!

"Framengo é Framengo": quando não estão peidando estão brigando!

Gente estranha aquele povo lá da Gávea, outro dia durante uma preleção do técnico 171 deles,  Vandeco, um jogador solta um peidinho e  o Vandequinho ficou todo histérico, achando aquilo um absurdo, mas não acha um absurdo dar cheques sem fundos , como os que passou para o Edmundo- e não pagar; ontem em uma festa por lá a porrada comeu solta entre um cidadão com a prestigiosa alcunha de Peruano e o blogueiro Arthur MuhlANberg, que escreve sobre eles na Globo.com, o Diário Oficial da Flapress.
Agora entendo o que o Ronaldinho Gaúcho quis dizer quando afirmou que " Framengo é Framengo"...uma zona!

                                                                         

Como ser Botafogo e achar que a vida tem jeito

 A superstição e o fatalismo que acompanham os botafoguenses não estão no meu caderno. Jamais me deixei levar por qualquer esquisitice que pudesse ter o mínimo laivo de superstição. É que eu sou a terceira geração de torcedores do Glorioso: meu avô paterno, Chico Albino, de saudosa memória, meu querido e longevo pai, Argemiro, nos seus noventa e três anos, e eu. Por força dessas circunstâncias, ser botafoguense talvez seja coisa de DNA, de carga hereditária, o que pode ser a forma mais irrecuperável de determinismo. Assim, montado nesse histórico pessoal, passei o vírus para meu filho Pedro, que infundiu sua paixão na filhinha Gabriela, de cinco anos, que já frequenta o Engenhão, sabe todos os cantos e, coisa terrível para um avô, arrisca até uns xingamentos, algo impensável há uns tempos. Por aí vocês veem: já são cinco gerações.

Aliás, essa carga genética se espalhou por todos os meus quatro irmãos e por muitos sobrinhos. Vê-se, por isso, que é quase uma condição familiar.
Desta forma, como vou achar que um sinal nefasto, um gato preto, uma mariposa escura, uma galinha preta arriada numa esquina vão trazer alguma complicação para qualquer jogo? Ou, ao contrário, que um amuleto, uma promessa, uma premonição vão portar bom augúrio?
Eu ia muito bem nessa batida, quando se deu o famoso jogo do segundo turno do Campeonato Estadual de 1989, o ano da graça, no dia 7 de maio, contra o time da Gávea. Estávamos no Maracanã eu, meu filho então com doze anos e meu sobrinho Bruno, já com quinze. Ao final do primeiro tempo, em que perdíamos por 3×1, trocamos de lugar, nas antigas cadeiras azuis, a fim de acompanhar o ataque do Botafogo.
Aquela, até então, era uma jornada melancólica, por tudo o que vinha acontecendo em campo. Atrás de nós estavam uns rapazes, talvez um pouco mais velhos que meu sobrinho, vociferando em nossos ouvidos frases como: “Bebeto, humilha ele, Bebeto! Não faz mais gol, não, Bebeto! Tem pena deles!” Nas cadeiras, à nossa frente, duas senhoras, já entradas em anos: uma botafoguense, sofrendo todas as humilhações, e a outra rubro-negra, abusando do direito de esculhambar.
 
Quando Gonçalves fez o gol contra que diminuiu a diferença, me levantei e gritei para os dois jovens:
- Ainda dá tempo! Vocês vão ver! Ainda dá tempo!
Um pouco depois, no lance que gerou o nosso terceiro gol, é que a coisa se deu. Quando Mauro Galvão matou no peito a bola que a defesa do outro time chutou de qualquer jeito, no meio daquela chuva toda, numa noite que teria todos os ingredientes para dar errado, vislumbrei um facho de luz vindo não sei de onde, como a destacar o zagueiro dentre todos os outros jogadores. E olhem que eu nem acredito nessas coisas, mas o que vou fazer?
Tão logo ele botou a bola no chão, pressenti que um lance daqueles não poderia se perder numa partida. Havia nele alguma coisa de transcendental, de sobrenatural, de mágico. Ninguém mata uma bola venenosa daquela, pesada, chutada sem dó nem compaixão, para que ela, logo em seguida, não se transforme num cometa, numa estrela cadente. Mauro Galvão não vivera até aquele momento, não jogara bola com a competência de sempre, para, como um cabeça de bagre qualquer, isolar a bola, atirá-la pela linha de lado, entregá-la ao adversário.
O grande capitão, com a categoria que só os predestinados possuem, lançou a redonda para Vítor que, com habilidade, determinação e iluminação, depois de fazer o diabo na defesa rubro-negra, estabeleceu o empate heroico que nos fez aptos a chegar, depois, ao título de campeões invictos de 1989, após vinte e um anos de sofrimento.
Foi a bola estufar as redes do adversário, para começarmos a pular, a gritar, a urrar, a nos abraçar. A senhorinha botafoguense iniciou uma dança tribal desconhecida, em desagravo a todas as ofensas que ouvira até aquele momento. E, se não me falha a memória, incluiu movimentos pélvicos à sua celebração orgiástica. Parecia possuída! Para não deixar moeda sem troco, brandindo o guarda-chuva que levava, virei para os dois jovens da fileira de trás e gritei com toda a força dos meus ótimos pulmões, escandindo as sílabas, no intuito de que não deixassem de entender, no meio da balbúrdia que se formou, um fonema sequer:

- Urubu, vai tomar na olhota do seu cu, seu filho da puta!
Eles não disseram nada. Estavam apopléticos, sem um pingo de sangue no rosto, transformado numa pasta disforme de expressão. É que tinham visto ali, com várias rodadas de antecedência, o Campeão Estadual de 1989, em toda a sua grandeza.
( Crônica de meu amigo e mestre, Saint-Clair Machado, professor de literatura da Universidade Federal Fluminense. Quem quiser excelente leitura á n blog dele Asfalto e Mato Valeu, amigão!  Zatonio Lahud)

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Flamengo vai homenagear sua torcida com painel na Gávea


O Flamengo vai fazer uma bela homenagem aos seus torcedores e inaugurar um imenso painel na sede da Gávea com foto de vários deles, que são o maior patrimônio do clube.
Nossos parabéns aos dirigentes do Rubro-Negro pela bela homenagem. Mais que merecida!


                                                               

Baixaria: Porrada come solta na sede do Flamengo. Novidade...

Só gente fina!
Nem com sua longa invecibilidade de nove jogos sem vencer a urubuzada sossega, depois da Crise do Peido, hoje a porrada comeu solta na Gávea, em uma pacífica reunião para o lançamento da terceira camisa do maior invicto da atualidade no Brasil.
Eu nem sei por que estou dando a notícia aqui, baixaria por lá tem todo dia. Saco!
Quem quiser ler a baixaria toda que vá na Globo.com- Diário Oficial da Flapress

Presidente da Flapress contrata arqueólogos para descobrir última vitória do Fla

O presidente da Flapress, Renato Maurício Prado, contratou um grupo de arqueólogos para descobrir quando foi a última vitória do Flamengo, os trabalhos serão iniciados na Gávea.
Será um trabalho árduo, a ordem é descobrir vestígios de qualquer vitória, se fosse para descobrir alguma em que os urubus não tenham sido beneficiados pelas arbitragens seria mais fácil encontrar a Arca de Noé, o rascunho da Bíblia ou Santo Graal...ai...ai...

domingo, 18 de setembro de 2011

O nosso 6 x 0 foi muito maior que o deles, e eu provo...

Tenho um amigo flamenguista que fez um post sobre um suposto jogo da vingança, partida em que  Flamengo nos venceu por 6 x 0, o resultado foi realmente igual ao da partida de 15 novembro de 1972, mas o nosso 6 x 0 foi muito maior que o deles e aqui vou provar o por quê de minha assertiva. Vamos aos fatos, pois. 

Em primeiro lugar porque vitória do Botafogo vale mais do que a dos outros; em segundo, porque nosso 6 x 0 foi muito mais humilhante que o deles; o gol de letra mais bonito de todos os tempos- passados, presentes e vindouros- foi marcado por Jairzinho neste jogo, foi o quinto gol e tão bonito, mas tão bonito, que antes de ser letra, mais pareceu um poema, dos mais belos que possam existir. Poema que começou a ser escrito nos pés de Zequinha, pela direita, que foi como uma flecha, rasgando seus adversários até à linha de fundo, depois o toque rasteiro, milimétrico, para Jairzinho, que cercado por dois zagueiros, deu o toque final, sublime, na obra-prima: tocou, carinhosamente, com o calcanhar direito na bola, que entrou linda e suavemente no gol dos gaveanos. Eu estava lá, e a beleza do gol foi tamanha que,  ao olhar para cima,  vi a estátua do Cristo Redentor não mais ” de braços abertos sobre a Guanabara”, como na música de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, mas aplaudindo entusiasticamente momento tão sublime e de beleza tão rara.

Não bastasse o gol do Jairzinho, que já prova que nosso 6 x0 foi muito mais 6 x 0 que o deles- um 6 x 0 mixuruca e sem brilho- o nosso foi presente de aniversário que demos a eles, sim além de levar de 6 com gol de letra,  a suprema humilhação: 15 de Novembro é a data de fundação do Flamengo, e como presente de aniversário demos a eles a derrota mais humilhante de sua História. É mais ou menos como chegar em casa para comemorar seu aniversário e encontrar sua mulher na cama com outro. Não há vingança que apague tamanha humilhação. Não no dia de seu aniversário, seu não, deles lá…

Babacas da Flapress reclamam da comemoração de Loco Abreu

Na análise da partida entre Botafogo x Flamengo na Globo.com ( a Rede Globo é o órgão oficial da Flapress ) o babaca que escreveu a matéria disse que a comemoração de Loco Abreu no gol do Botafogo foi "debochada".
O babaca ignaro não percebeu que o Loco estava só ironizando a comemoração de Ronaldinho Gaúcho por os urubus-peidões continuarem paradões na esquina
Quando os jogadores do Flamengo inventam todo tipo de viadice para comemorem seus gols eles acham lindo, criaram até um boneco gay, o tal de João Sorrisão, para obrigarem os jogadores a ficarem fazendo uma dançinha patética para comemorem seus gols.
Duvido que alguém vá ver o Loco fazendo aquela babaquice. Saco!
Quem primeiro protestou contra os babacas da Flapress foi o blog do PC Guimarães
                                                 
                                                                         

Botafogo: um empate na conta de Caio Júnior

O Botafogo acabou de empatar com o Flamengo por 1 x 1, no Engenhão, golaço do Loco Abreu para o Botafogo, o deles não sei e nem quero saber quem fez.
Fizemos um excelente primeiro-tempo, com uma boa atuação de Maicosuel pela esquerda, matando Léo Moura, poderíamos ter saído vencendo por um placar mais dilatado não fossem três excelentes defesas de Felipe. No intervalo baixou o espírito de professor Pardal, que andava sumido, em nosso técnico, Caio Júnior, ele troca  Maicosuel para o lado direito e joga Herrera pela esquerda, acabou com os dois, deu liberdade ao Léo Moura e eles empataram.
Fazer o quê? Saco!

Alexandre Brega vai ficar 3 meses sem beber e transar se Fogão vencer hoje

Alexandre Brega, vai  virar santo por 3 meses
Meu amigo Alexandre Brega vai ter ficar três meses sem beber ou transar se o Botafogo vencer os urubus-peidões hoje.
Fiz a promessa para ele e sei que vai cumpri-la com alegria e destemor, até porque promessa é dívida!
Mas, por via das dúvidas, eu tenho um primo que é juiz em Juiz de Fora( ele é de fora mesmo ) e já reservei uma cela especial para meu amigo cumprir sua árdua missão. Vai ser muito bem tratado, mas mulher é álcool estão terminantemente vedados.
Tudo por amor ao Fogão!

Obs: Botafoguenses, a filha do Alexandre, Melissa Paro está participando de um concurso de modelos, vamos ajudá-la a vencer votando aqui Vox Models, é só ir lá e clicar na MELISSA PARO.  

sábado, 17 de setembro de 2011

Promessa do Barão de General Severiano para vencermos à urubuzada

Eu vos prometo, senhor, com todo minha nobreza de Sir Zatonio Lahud, Barão de General Severiano, que se o Botafogo vencer o Flamengo, eu farei o imenso sacrifício de ficar 24 horas sem olhar para a bunda da minha vizinha, que é uma das coisas mais lindas da face da Terra; prometo mais, agora que ela se separou do babaca de seu marido, eu só vou cantá-la a partir de terça-feira, até porque ela foi ver sua mãe em  Campos e só volta segunda à noite.
Se vencermos os urubus-peidões, senhor, eu prometo cumprir rigorosamente minha penitência. Palavra de Barão!

Até que essse tal de Messi daria um bom reserva no Botafogo

Estou aqui concentrado com minhas baronetes para o jogo do Fogão contra a urubuzada amanhã e estou vendo Barcelona x Osasuna, o primeiro-tempo terminou 5 x 0 para o Barça, um bom time, genérico do Botafogo; como Sir Zatonio Lahud, Barão de General Severiano, vou sugerir ao nosso presidente, Maurício Assumpção, para contratar um menino do Barcelona, um tal de Messi, que daria um bom reserva do Elkeson.
Palavra de Barão!
Agora vou voltar às minhas baronetes, que não posso deixar minha concentração cair. Fui...

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Manga sobre seu irmão Alemão: " Se fosse bom não jogava no América"

Manga foi o maior goleiro da História do Botafogo e era conhecido por sua sinceridade, no início dos anos sessenta do século passado, já consagrado no Botafogo,um repórter pergunta ao Manguinha se seu irmão Alemão, contratado junto ao Sport Recife pelo América, era bom jogador, resposta do Manguinha, ao vivo, no rádio:
- Bom nada, se fosse bom não vinha jogar no América!
O tempo provou que o Manguinha estava prenhe de razão.
Quem quiser saber mais sobre o Manga vá em Que fim levou?

Botafogo: o time era tão ruim que torcida comemorava córner como gol

Como sabeis vós, nosso glorioso e amado Botafogo já passou por momentos vexaminosos em sua gloriosa história, provocados por dirigentes incompetentes que levaram o clube à beira da bancarrota.
O início do século XXI foi trágico para nós, uns timecos de dar vontade de suicidar, mas nós, os botafogo, para suportar a dor desenvolvemos uma fina ironia que nos permitiu sobreviver aos tempos aziagos- que, espero, não voltem nunca mais. Moro perto do Caio Martins aqui em Niterói, que era, nesta época, o palco de nosso patético esquadrão de cabeças-de-bagres, e eu estava lá, todo jogo, purificando min'alma.
Uma vez, creio que contra o Friburguense, quem chegasse ao estádio e não conhecesse os uniformes das equipes acharia que o  Botafogo era o Friburguense, armamos uma retranca vergonhosa e, às vezes, o time chegava à área adversária aos trancos e barrancos- muito mais trancos, ouso dizer-, a torcida indo à loucura quando o Botafogo consegue um córner...foi genial!...sem ninguém combinar a valente torcida alvinegra comemorou o escanteio como se tivesse sido um gol, dai pra frente foi uma festa, lateral a gente comemorava como pênalty, córner era gol.
Como a FIFA não conta escanteio como gol, uma injustiça com aquele esquecível time do Botafogo, tomamos de quatro do poderoso esquadrão da Região Serrana.
Mas rimos como nunca de nossa própria desdita. O que só os grandes de espírito sabem fazer.
E nada é maior que a gloriosa alma botafoguense.

Enquete: Loco Abreu X Ronaldinho Gaúcho, quem é mais bonito?

Élkson foi eleito o melhor jogador do Brasileirão até agora na democrática enquete realizada pelo Botaguismo Radical, o mais democrático blog pró-Botafogo do Universo.
Agora uma nova enquete: Loco Abreu x Ronaldinho Gaúcho, quem é mais bonito?
Votem!!!








X



Loco Abreu: Vim para o Botafogo para ganhar do Fla

Uma excelente entrevista com Loco Abreu no Lance, onde o ídolo alvinegro afirma que ganhar do Flamengo foi o motivo maior de ter vindo jogar no Botafogo.
E ganhou, grande Loco, fazendo o gol da vitória sobre eles na final do Estadual de 2010 com o gol de pênalty mais  bonito de todos os tempos. Uma cavadinha que lavou nossa alma,  estilhaçada por três vices seguidos para eles. O mais dolorido: fomos roubados em todos e ao protestarmos fomos apelidados de chorões pelos energúmenos da Flapress.
Hoje, Loco, você já fez muito mais que ganhar do Flamengo, é  ídolo maior de nosso Glorioso e quando iniciar sua carreira de técnico, seu objetivo depois que para de jogar, que seja no Botafogo
Você estará sempre em nossos corações e com seu nome eternizado na imensa galeria de ídolos do glorioso Botafogo de Futebol e Regatas. Amém!

A entrevista completa está no Lance.com

Presidente da Flapress, Renato Maurício Prado, senta pau em Zico

Agora é o próprio presidente da Flapress, Renato Maurício Prado, quem senta o pau em  Zico, hoje em seu blog.
Aquele povo peidorreiro não respeita nada nem ninguém, se Zico tivesse sido jogador do Botafogo jamais seria tratado desta maneira, nós sabemos cuidar de nossa história, de nossos ídolos e jamais os enxovalharemos em público.
Domingo vamos vingar o Zico, tratado como cão sarnento pelo  clube a quem deu tantas glórias.

Veja a notícia completa aqui Blog do presidente da Flapress

                                 

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Baixaria na Gávea ( novidade! ): Zico e Júnior contra Vandeco e Cap. Léo.

A baixaria está comendo solta na Gávea( pobre Gávea, um bairro tão bonito! ), entre Zico e Júnior de um lado e Vanderlei Luxemburgo, o técnico 171 deles- Ô Vandeco paga os pombos sem asas que passou para o Edmundo!-, e um tal de Capitão Léo, presidente de uma porra qualquer lá, que não sei da vida daquela zona, as que frequentei, quando mais jovem- só para aconselhar às pobres moçoilas que lá estavam para tomarem outro rumo na vida-, eram muito mais organizadas. E ai de quem peidasse!
Quem quiser saber mais vá ler a celeuma aqui e aqui, que eu só estou para Botafogo no furdunço deles.
Se sapecarmos os peidões no domingo, e vamos!, aquilo lá vai explodir de vez. Amém!

Carlos Alberto Barroso espanta médicos com coração botafoguense

Coração do Carlos Alberto Barroso
Meu amigo Carlos Alberto Barroso foi fazer uns exames médicos de rotina, fez uma radiografia do tórax e deixou os doutores aparvalhados, um verdadeiro fenômeno: o coração do homem tem a forma do escudo do Botafogo.
Vejam a imagem acima, que botafoguense não mente.
O Glorioso Carlos, depois da inimaginável descoberta, anda com uns probleminhas com a patroa, enciumada com a paixão exacerbada do extraordinário coração alvinegro de seu marido.
Nada que uma sova na urubuzada no domingo não resolva. Ganhar dos urubus dá muito mais tesão que tomar meia-dúzia de Viagra. Né não... Carlos?!

Botafogo dá nova chance a Jobson; ele é quem tem de ser dar uma chance

Já falei diversas vezes sobre o Jobson: quando foi para o Atlético-MG disse que não ficaria, não ficou; quando foi para o Bahia disse que não ficaria, não ficou. E não vai ficar em lugar nenhum enquanto não aceitar que é um doente- dependente químico- e pedir ajuda, o pedido tem de vir dele, caso contrário nada nem ninguém poderá ajudá-lo e vai terminar na sarjeta.
Não adianta psiquiatra, pedido de mãe, de mulher, de amigos- se ele não quiser se tratar nada vai detê-lo em sua caminhada rumo ao inferno, como já estamos vendo.
Torço pelo homem Jobson, mas tenho sérias dúvidas quanto à sua recuperação, por dois motivos: é muito jovem, o que dificulta a aceitação da doença, jovens acham que são imortais e podem tudo, é da natureza humana; o outro é ainda ter dinheiro, a pior droga para dependentes químicos pois lhes permitem comprar o que mais desejam: o prazer imediato e a bajulação de falsos amigos. Quando o dinheiro acaba- e acaba rápido -, o inferno chegou e os tais amigos somem.
O presidente do Botafogo, Maurício Assumpção, perdeu um irmão para às drogas e sabe como lidar com a situação, como sabe que só o Jobson pode mudar seu destino. Se aceitar sua doença, caso contrário: o inferno!
O caso Jobson está na Globo.com

                                                                                        

Flapress nojenta: Globo diz que Ronaldinho deu show no aquecimento

"Ronaldinho Gaúcho deu um show em Córdoba... Mas somente antes de a bola rolar."( O Globo )
Eis o início da análise que o Diário Oficial da Flapress, o jornal O Globo, faz do jogo entre Argentina x Brasil terminado há poucos minutos em Córdoba.
É muita desfaçatez dessa gentinha nojenta, por isto fiz este blog, pra sacanear essa Flapress ridícula e patética. E defender o Glorioso, claro!
A jumentice está aqui Flapress.com

Jefferson salva Brasil de levar maior goleada de todos os tempos

Não fosse a soberba atuação do goleiro Jefferson, do Botafogo, o Brasil teria levado uma goleada histórica da Argentina no jogo realizado hoje em Córdoba.
O excepcional arqueiro do Glorioso realizou mais de 220 defesas difíceis durante a partida, umas 59 delas praticamente impossíveis.
Mais uma vez o Botafogo salva o Brasil de uma tragédia!

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Jogadores do Fla exercitam pensamento; e desde quando urubu pensa?

Estou lendo aqui que os peidorreiros jogadores do Flamengo usam suas folgas para "exercitarem o pensamento."
Tá!...só se for para pensar merda...que, convenhamos, combina com os puns que eles adoram soltar em público.
Vivendo e aprendendo, eu não sabia que urubu pensava, o bicho só come carniça. Os pensamentos deles devem feder mais que seus peidos...Ha! Ha! Ha! Ha! Ha!
A hilária notícia dos pensadores peidorreiros está na Globo.com

Cronistas Botafoguenses- Juquita


Encontrei-me com o Carioca no final do jogo Botafogo 4 x 0 Ceará, no Oxênte, bar de baiano e reduto da torcida VitóriaFogo aqui em Vitória. Pó, Gilberto, esse time vai ser campeão, tá jogando pra carr...., dizia Carioca naquele jeitão todo característico. Lembrei do dia que nos encontramos no Maracanã.

Tarde de sábado, sol à pino, marcamos de nos encontrar no bar dos vovôs, penúltimo bar à esquerda no anel inferior do Maracanã, entrando pela rampa que dava para a estátua do Mané Garrincha. Toinha e Pedrinho vinham de Niterói, eu saia da Rua Silva Teles, na Tijuca, e nos encontrávamos no bar dos vovôs, dois senhores de cabeça branca, torcedores do América. Antes de iniciar os trabalhos para bebemorarmos o jogo, passamos no túnel que leva às arquibancadas, só para ver o movimento. Ainda nem havia começado a preliminar do jogo entre os juniores do Botafogo e Olaria. Foi nesse momento que encontramos o Carioca sentado na arquibancada.

Uma ressaca havia pego o Carioca desprevenido, e ele teve que prometer para a esposa Carlota, que não iria beber naquele dia lindo, ensolarado e quente. Era promessa de pé junto, o problema foi ter nos encontrado. Voltamos para o bar dos vovôs e enchemos nossos copos de cerveja. Carioca tomou poucos copos e parou. Lembrou da promessa feita. Quando começou o jogo principal, já estávamos achando que o nosso ataque, formado por Cremilson, Tuca e Puruca não devia nada aos dos outros times. Senhor, perdoai aqueles que nos tem ofendido, e livrai-nos de todo o mal. Amém!

Despedimo-nos dos vovôs, enchemos nossos copos e subimos para as arquibancadas. Carioca perguntou se não estávamos esquecendo de pagar a conta. Toinha disse que só pagaríamos a conta no intervalo do jogo. Carioca ficou possesso. Por que não falamos com ele sobre esse detalhe da conta? Ué, você não disse que não iria beber? Quando um não quer, os outros três bebem por você! Carioca desceu o túnel, voltou no bar dos vovôs e trouxe 3 copos cheios de cerveja. Ficou nesse vai e vem durante todo o primeiro tempo.

No intervalo do jogo, voltamos ao bar, pedimos algumas saideiras e pagamos a conta. Carioca confessa, preocupado. Havia prometido para a esposa que não iria beber e agora ele estava daquele jeito. Pedrinho até sugeriu que fossemos até a casa do Carioca, no Andaraí, para ajudar nas justificativas. Pressentindo o desastre, Carioca encerra o assunto com a seguinte justificativa: Toinha, a Carlota já não quer ir para Calçado, nos feriados, porque eu faço conta naqueles botecos todos. Se ela fica sabendo que eu abri uma conta no bar do Maracanã, ai eu tô perdido. Deixa que eu vou sozinho, a Estrela Solitária me conduz.

Obs: Crônica escrita por Gilberto Vieira de Resende, meu amigo Juquita, companheiro de longas jornadas etílicos-alvinegras atrás de nosso amado Botafogo. Se algum botafoguense quiser enviar uma história interessante com o Botafogo é só enviar para botafoguismoradical@r7.com que publicaremos aqui.

                                                                          

Academia Brasileira de Letras vai mudar grafia de louco para LOCO

A Academia Brasileira de Letras ( ABL ) está propensa a extinguir o vocábulo LOUCO da língua portuguesa e substituí-lo por LOCO, para homenagear o grande Loco Abreu, ídolo do Botafogo. Portanto não teremos mais loucos no país, só Locos!
A defesa da justa e criteriosa mudança será feita pelos especialistas alvinegros em língua portuguesa, Saint-Machado e Maria Lúcia Marangon ( cliquem nos nomes e visitem os blogs ), dois ilustres botafoguenses e renomados especialistas na língua de Camões e agora do Loco, o nosso Abreu.

FOOOOOGO! LOOOOOCO!

Obs: Obrigado Carlos Alberto Barroso, pela sugestão do post. Abraço!

Desfazendo mitos: torcida não ganha jogo e só comparece quando time está bem

A mídia, em sua necessidade de criar herois e mitos, mistifica a torcida do Flamengo, dizendo que vai ao jogos mesmo com o time indo mal no campeonato. Mentira, deslavada mentira, peguem os públicos dos últimos jogos do Fla e verão: sete, oito mil pessoas nos estádios, hoje leio que a diretoria deles já quer baixar os preços dos ingressos para atrair os urubus, que desgostosos com o time, andam indo soltar suas fétidas flatulências em outros lugares.
Outro mito é dizer que torcida ganha jogo, ganha nada, o que ganha jogo é time bom, torcida pode ajudar motivando os jogadores e criando um clima favorável, mas por mais que berre não vai fazer um cabeça de bagre jogar futebol, fosse assim o  tal do Deivid, faria uns dez gols por jogos e os urubus não estariam a oito jogos sem vencer. Árbitro ajuda mais que torcida, é só fazer um levantamento isento dos últimos campeonatos que eles venceram
Ah, para quem não sabe, o clube com melhor média de público jogando em casa desde 1971, quando se iniciou o atual campeonato brasileiro, é o Atlético Mineiro, que ganhou exatamente o primeiro disputado. Como torcida ganha jogo?
O resto é conversa da Flapress para enganar trouxa. E  muitos acreditam.
A promoção dos ingressos está aqui Lance

                                                                           

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Crise do Peido: Líder da Flapress, Renato M. Prado, quer cabeça de Vandeco

E a crise do peido à cada dia fede mais lá pelas bandas da Gávea ( pobre Gávea, um bairro tão bonito! ), o presidente da Flapress, Renato Maurício Prado, agora destila seu veneno contra o técnico 171 deles, Vanderlei Luxemburgo- Ô Vandeco, paga os borrachudos que deu para o Edmundo!- em seu blog lá no Diário Oficial da Flapress, o jornal O Globo.
Me desculpem, mas eu num guento: Fedam-se...e...Fodam-se!
O blog do corno, desculpem, RMP é aqui Blog do presidente da Flapress

Um poema chamado Mané Garrincha

fez que foi
voltou
o mané foi
fez que veio
voltou
o mané veio
foi veio voltou
[ gol ]
assim foi garrincha
o maior de todos os manés
mas a vida
grande mané
fez que veio foi
e não voltou
e levou nossa estrela
mas no coração do menino
que ainda sou
sua estrela brilha
na saudade de teu drible
na ternura de tua inocência
tu mané
que fostes a maior estrela
a engrandecer a constelação de estrelas
de uma estrela solitária
chamada botafogo
obrigado doce mané
tu és hoje
a mais bela e fulgurante estrela
a driblar no infinito do universo
não fosse cada drible seu
um belo e saudoso verso
de um poema chamado:
Mané Garrincha
A  alegria do povo!

Zico desabafa contra Flamengo; o Botafogo reverência seus ídolos

Podemos falar sobre o Flamengo.

Não. Fui submetido a um inquérito dentro do clube. Desconfiaram da minha idoneidade depois de 40 anos no futebol, sendo que 20 foram passado dentro do clube. Como podem fazer isso depois de tudo que fiz pelo clube? Como posso ser tratado com a desconfiança de que beneficiei meu clube (CFZ), meu filho e alguns jovens? E isso foi feito por gente que não sei o que fez dentro do Flamengo. Foi uma tristeza muito grande que tive no futebol. ( Zico, em entrevista ao jornal Extra de hoje.)

Eis a diferença entre o Botafogo e  outros clubes, nossos ídolos são sagrados fazemos estátuas em sua homenagem, isso que aconteceu com Zico, o maior jogador da história do Flamengo e um dos maiores que vi jogar, jamais acontecerá no Botafogo. E olha que nós temos muito mais ídolos que eles.
Ídolos de verdade, não ícones de pés-de-barro criados pela Flapress.
É por isso que eles, que se dizem o time do povo, se rasgam de inveja do Botafogo, afinal, Garrincha- A Alegria do Povo, jogou onde?

Versão da nova música dos urubus-peidões

A torcida FLatulência vai lançar no jogo contra  Botafogo, domingo próximo, a versão do que vai se tornar o novo hit deles. Não reparem, mas o máximo que o QI deles permite é rimar ão com ão. Eis a letra:

Oh, meu Mengão

Eu peido por você

Quero cantar ao mundo inteiro

A alegria de ser peidorreiro

Peide comigo Mengão

Acima de tudo peidorreiro

É, vindo de onde vem, até que ficou bonitinha!

Ha! Ha! Ha! Ha! Ha! Ha! Ha!

Botafogo: O Toy ainda está deprimido

Derrota do Botafogo é uma tragédia aqui em casa, Toy, meu fiel companheiro de alegrias e agruras alvinegras, fica inconsolável quando nosso Glorioso é derrotado, ainda mais tomando de cinco como no último domingo.
No terceiro gol do Coritiba ele arrastou sua caminha da sala, onde víamos o jogo, para debaixo da minha cama, para onde vai quando está triste, e lá ficou até agora cedo, quando resolveu sair para darmos um passeio.
Ainda está meio macambúzio, mas aos poucos vai se recuperando e já rosna para um foto do Ronaldinho Gaúcho que mostro para que ele recobre o vigor alvinegro pra enfrentarmos os urubus-peidões no próximo domingo.
É triste ver meu fiel companheiro sofrendo com uma derrota de nosso Botafogo. Mas, como dizia o grande botafoguense João Saldanha: Vida que segue...o urubu-peidão é quem vai pagar o pato. E o Toy vai ficar louco de alegria.

Todos os 41 gols de Loco Abreu pelo Botafogo

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Botafogo vai distribuir máscaras de gás para torcida no jogo com urubus peidões

A diretoria do Botafogo, em uma medida exemplar, decidiu distribuir máscaras de gás para os torcedores do Glorioso que comparecerem ao Engenhão no próximo domingo quando enfrentaremos os urubus peidões, o intuito de nossa diligente direção é nos proteger dos peidos venenosos que a porca urubuzada solta sem parar.
Parabéns à diretoria alvinegra pela profícua e exemplar medida!

De heroi para heroi: Duque de Caxias homenageia Loco Abreu

O ídolo botafoguense, Loco Abreu, foi homenageado, hoje, pela Câmara Municipal de Duque de Caxias, uma grande festa foi feita no local pela torcida do Glorioso.
Nada mais justo, um heroi do Brasil homenageando um heroi do Botafogo.
A notícia está na Globo.com

FOOOOOOOOOOOOOOOOGO!!!

De Botafogo a Otaogo, uma noite memorável

Após vencermos a Segunda Guerra Mundial como mostrei em crônica anterior ( O Botafogo venceu até Hitler ), fomos responsáveis pela conquista dos três primeiros títulos mundiais conquistados pelo Brasil que vivia humilhado por nunca ter conquistado uma Copa, chegamos próximos em 1950, aqui mesmo no Brasil, tínhamos uma excelente equipe, cuja base era formada por jogadores do Bacalhau, o que foi nossa desgraça, faltou-nos o destemor, a ferocidade e o brilho fulgurante da carismática Estrela Solitária a iluminar os corações e a alma de nosso time. Perdemos!
Como todos os grandes herois, nós botafoguenses, também sofremos nossas vicissitudes e suportamos vinte anos de desgraça, humilhação e vergonha, qualquer outro teria sucumbido irremediavelmente, mas nós somos o Botafogo, nossas glórias não foram conquistadas graças ao apito de juízes amigos, como alguns clubes que conhecemos, mas com luta, suor,  sangue e coragem. Pois bem, após vinte anos de diáspora, venderam na calada da noite até nossa Terra Santa, o sagrado solo de General Severiano, eis que chega o dia da redenção: 21 de junho de 1989! Mas não é do jogo que vou lhes falar, a heroica epopeia é por demais conhecida, vou contar-lhes é a história do Ferrugem, velho amigo lá de São José do Calçado, querida cidade capixaba onde nasci. Quando da decisão de 1989, com o time lá da Gávea(pobre Gávea, um bairro tão bonito!), vieram lá de Calçado uma troupe de uns dez valorosos pinguços alvinegros; o chefe da etílica delegação era o Ferrugem, como eram dois jogos chegaram no sábado, véspera da primeira partida e ficaram hospedados no Hotel do Tonicão, ou seja, lá em casa. Tonicão era meu pai. A bem da verdade, aquilo estava mais para uma grande zona do que para hotel.

Ferrugem, como o apelido já diz, tem cabelos ruivos, cerca de 1,68 e uma barriga que é cópia fiel de um barril de chopp e, detalhe mais importante para nossa história, não pronuncia as letras B e F, é o famoso língua presa. Quando o árbitro encerra a mais gloriosa das partidas, o Maracanã se transforma em um imenso transe coletivo, éramos novamente, como desde sempre, campeões! Todos se abraçam, formando um só corpo de cinquenta mil alvinegros, foi um espetáculo indescrítivel. Após abraçar todo mundo procuro pelo Ferrugem, olho para um lado, para o outro, para baixo…e… nada… até que olho para cima e me deparo com uma das cenas mais hilárias que já vi na vida: nosso pançudo heroi estava de joelhos, a bem cuidada pança arrastando no chão, braços abertos como Cristo crucificado- no caso em tela a cruz teria de ser de ferro, de madeira quebraria com o sobrepeso de nosso obeso personagem-, lágrimas escorrendo em cascata- lágrimas amarelas e espumantes, nunca vi nada igual, lágrimas de cerveja-, e o gran finale, como já lhes disse o Ferrugem engole as letras B e F, e cantava  a plenos pulmões o hino do Botafogo: otaogo…otaogo…campeão desde 1910…e gritava…ooooooooooogo!!!…ooooooooooooogo!!!….otaogo…otaogo…campeão….oooooogo!!!

Olhei o triste quadro, chamei o Pedrinho e disse:- Olha a situação de nosso amigo. Pedrinho olhou, começou a rir e disse: – Vamos lá pegar ele! Fomos, o abraçamos, seguramos um em cada braço dele, o levantamos e saímos, noite adentro, comemorando o fim da saga botafoguense. E o Rio amanheceu cantando o glorioso hino alvinegro: otaogo…otaogo…campeão desde 1910…otaogo…

Botafogo: não podemos perder o foco, agora é detonar os urubus peidões

O desastre de ontem veio na hora certa, foi bom para acabar com o oba-oba que estava se formando em torno da equipe alvinegra, e todos nós estavámos entrando na onda, técnico, jogadores e torcida, temos de voltar a jogar o futebol humilde e solidário que vínhamos apresentando até a partida de ontem contra o Coritiba.
É como em nossa vidas, de quando em vez passamos por provações para nos temperar o caráter e sacudir o espírito. Domingo tem os peidorreiros da Gávea, que venceu pela última vez quando Oscar Niemeyer ainda era um pequerrucho bebê.
Não podemos levantar defunto de novo, agora é hora de enterrá-lo de vez. Até porque urubu é um bicho nojento, peidorreiro então...afff!

Pior que o Botafogo perder de 5 é dormir depois do Botafogo perder de 5

Duro mesmo, depois de uma goleada como a que sofremos hoje, é dormir. Toda hora acordo esbaforido tentando salvar um gol de nosso adversário e não consigo, só vejo a desgraçada da bola entrando em nossa baliza, pela manhã acordo esgotado, a goleada de cinco passa a ser de mais de cinquenta, gosto amargo na boca, corpo dolorido de tanto tentar salvar os malditos gols adversários e não conseguir.
Uma vez só eu consegui, foi uma de sete que levamos do FLORminenC- ah, Botafogo!...humilha-me, ás vezes- virei o diabo do jogo para 11 x 7...mas acordei...Saco!